Investigação

Projeto europeu culmina na criação do UpScale SDK
18-05-2017

O P-SOCRATES, projeto liderado pelo CISTER (Centro de Investigação em Sistemas Computacionais Embebidos e de Tempo-Real), chegou oficialmente ao fim. No entanto, o sucesso alcançado levou o consórcio (integrado por várias instituições internacionais de renome) a assinar a posteriori um acordo de colaboração para os próximos dois anos. O projeto culminou no lançamento do UpScale SDK – um kit para o desenvolvimento de aplicações de alto desempenho em tempo-real para plataformas de múltiplos processadores (processadores many-core).

Recorde-se que o P-SOCRATES teve como principais objetivos investigar e desenvolver novos modelos e software para permitir que os sistemas embebidos e de tempo-real explorem as oportunidades de desempenho das mais recentes arquiteturas de processadores. Neste contexto, surgiu o UpScale SDK, que foi apresentado ao público, em março. Esta ferramenta incorpora, assim, todos os avanços tecnológicos do projeto (incluindo compilador, bibliotecas e sistemas operativos, ferramentas de análise de desempenho e previsibilidade) para criação de software crítico de alto desempenho.

O UpScale destina-se a sistemas que exigem um elevado desempenho computacional para processar grandes quantidades de dados de múltiplas fontes, ao mesmo tempo em que exigem garantias no processamento de tempos de resposta. As arquiteturas de processadores many-core permitem que esses requisitos de desempenho sejam alcançados, integrando diversos núcleos (cores) interligados com redes complexas (network-on-chip), abrindo caminho para a computação paralela. Todavia, este cenário acarreta muitos desafios, os quais são abordados pelo UpScale que inclui diversos componentes de computação para explorar com êxito as oportunidades de desempenho trazidas pelos modelos de programação paralela.

Atualmente, o UpScale SDK está disponível em software aberto, mas com licenças compatíveis com utilização comercial, podendo ser aplicável a diferentes casos de uso. Pretende-se, deste modo, a criação de uma comunidade para a continuação do desenvolvimento aberto, mas permitindo que a empresas integrem os desenvolvimentos nos seus produtos comerciais. Após uma primeira mostra no projeto Industrial Workshop, em novembro de 2016, no Porto, os resultados principais foram apresentados no Embedded World – o encontro internacional para o setor de tecnologia de sistemas embebidos, que decorreu em Nuremberga, na Alemanha.

P-SOCRATES e uma breve retrospetiva

O P-SOCRATES teve início em outubro de 2013, prolongando-se oficialmente até ao final do ano passado. Com um orçamento total de 3,6 milhões de euros, dos quais mais de 2,7 milhões foram financiados pela Comissão Europeia, o projeto não só impulsionou a criação do UpScale SDK, mas também resultou na publicação de 57 artigos científicos, incluindo quatro distinguidos como Best Paper Awards.

Tal como mencionado acima, os objetivos tinham como foco assegurar uma resposta por parte dos computadores dentro de determinados prazos temporais. Esta situação é particularmente importante em vários domínios de aplicação (desde automóveis a sistemas financeiros), isto porque caso a resposta seja efetuada fora desse período a falha poderá ter consequências graves, podendo afetar vidas humanas ou ter implicações financeiras. “As metas propostas foram totalmente alcançadas, sendo até ultrapassadas, visto que a proposta inicial previa a demonstração numa aplicação, sendo que o projeto demonstrou as tecnologias em três aplicações distintas de três áreas diferentes”, explica Luis Miguel Pinho, coordenador do P-SOCRATES.

Segundo o investigador do CISTER/ISEP, convém realçar ainda que o projeto teve a “capacidade de envolver no grupo de acompanhamento industrial empresas relevantes na área, que acompanharam os trabalhos e resultados. Tal aconteceu não só aquando da elaboração da proposta e início do projeto, mas também com o posterior aumento do grupo. Deste modo, o P-SOCRATES teve, além dos sete parceiros, 11 empresas e organizações a colaborar, destacando-se algumas de dimensão mundial como a Airbus, a Bosch, a Honeywell, ou Expert Systems”.  

De notar que o consórcio abrangia, para além das empresas supramencionadas, outras organizações de relevo, tais como o Centro de Supercomputação de Barcelona, o Instituto Federal de Tecnologia de Zurique e o gigante das tecnologias da informação – Atos. Acrescente-se ainda que no P-SOCRATES estiveram envolvidos mais de 30 investigadores, 8 por parte do ISEP.

+INFO Professor Luís Miguel Pinho (lmp@isep.ipp.pt) / Página oficial do P-SOCRATES